Quais são os Tratamentos para a Disfunção Erétil 100% OK

O melhor Tratamento para a Disfunção Erectil3.7 (73.33%) 3 votos

problemas de ereçãoNão somente as pílulas azuis podem ajudar os homens com problemas sexuais. Há soluções naturais ao alcance de qualquer um. Tomado a modo de escárnio popular, a disfunção erétil (de agora em diante, DE) é a incapacidade de manter uma ereção satisfatória— não é para lidar com isso a brincadeira. Ao menos para quem a sofre é um assunto muito sério.

Não só o impede de ter uma relação sexual eficaz, mas que também deteriora a sua auto-estima; isso quando não é um sintoma de algo ainda pior, como doenças cardíacas ou diabetes.

É um problema mais comum do que acreditamos: a DE moderada ou completa (não um “furo” de vez em quando) vai afetar pelo menos 8% dos homens com mais de 40 anos, e 40% das pessoas que passam dos 60 anos, de acordo com a I. J. I. R. (Tendo em conta que são apenas uma pequena porção dos que se atreve a confessá-lo em uma pesquisa real).

As conhecidas pastillitas azuis, comercializadas a partir de 1998, foram e ainda são um sopro de esperança; no entanto, seus possíveis efeitos colaterais, o seu alto preço e, por que não mencionar, a vergonha que representa para alguns, ir para comprá-los, fazem com que em mais de uma ocasião se procure a solução que não tenha a ver com a farmácia. E a boa notícia é que: sim, existem remédios naturais para esquecer a incomoda disfunção erétil.

Aqui está uma das melhores tratamentos para a disfunção erétil recomendados pelos especialistas:

  1. Consuma bastante azeite de oliva

Aumente o consumo do chamado “ouro líquido”, assim como também de vegetais frescos, frutas, e tudo o que está relacionado com o sucesso da dieta mediterrânea.

É boa para o coração e, precisamente, os distúrbios cardiovasculares estão por trás de muitos episódios de disfunção erétil, em que o sintoma primário não é a doença, mas a impotência. “Pelo menos 80% dos casos de disfunção erétil são originadas por problemas vasculares”, afirmou um médico grego chamado Athanasios Angelis em um congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, realizado em 2014 na Áustria. Cuidando de sua tensão arterial e o colesterol vai conseguir melhorar o seu desempenho sexual. “A testosterona é a gordura é convertida em hormônio feminino, e o colesterol, diminui o fluxo de sangue que irriga o pau.

  1. Consuma as frutas ideais

O mais recomendado são as frutas, tais como: frutas vermelhas, laranjas, maçãs e pêras. Seu poder para se elevar o ânimo se deve aos flavonóides, que são uma família de compostos comumente encontrados em vegetais e frutas.

Para melhorar o fluxo de sangue há vários flavonóides, que faz com que suas artérias ganham em flexibilidade, pois dilatam os vasos sanguíneos. Além disso, esses compostos possuem grandes quantidades de antioxidantes, o que permite reduzir as inflamações, melhorar o estado das artérias e combater o envelhecimento precoce, através da prevenção e reparação das células. Pode até mesmo ajudar a prevenir as cáries dentárias e mitigar a ocorrência de doenças comuns como a gripe.

Deste modo, os flavonóides podem evitar o aparecimento da demência senil, doença de Alzheimer e alguns tipos de câncer. Mas no caso do câncer, os flavonóides geram enzimas de fase II, que têm a função de destruir cancerígenos e mutagénicos, além disso, impedem a invasão tumoral e arrasam as células cancerígenas.

  1. Mova-se (que não seja de bicicleta)

Se sofre de problemas, não se dê no sofá. O esporte melhora a circulação sanguínea e, consequentemente, seu desempenho. “Graças ao exercício, conseguimos que nossa árvore circulatório esteja preparado para levar o sangue para todos os órgãos do corpo, incluindo o pênis”, explica o doutor Cruz. É boa de qualquer disciplina, excepto o ciclismo. “Os selins danificam o períneo, e as artérias que levam o sangue para o pênis são prejudicados”.

  1. Relaxe: faça meditação

Muitos problemas de saúde são, por vezes, o stress, além da DE. E não só isso: a impotência pode gerar estresse em quem a sofre, então, é um círculo vicioso. “O estresse gera uma descarga de adrenalina e isso fecha as artérias que chegam ao pênis; em situação de estresse ninguém pode ter uma ereção satisfatória”, observa o doutor Natalio Cruz.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *